• fortesufrrj

A explosão de contaminados da COVID-19 em Volta Redonda

(E a necessidade do distanciamento social no Médio Vale Paraíba Fluminense)


Fábio Rossi (PPGIHD-UFRRJ), Leandro Dias de Oliveira (PPGIHD e PPGGEO-UFRRJ) e Gustavo Mota de Sousa (PPGGEO-UFRRJ)


Em texto anterior, foram apresentados os números vultuosos de contaminados da cidade de Volta Redonda, município do interior do estado do Rio de Janeiro, com expressiva quantidade de infectados pela COVID-19[1]. De antemão, Volta Redonda, e também Resende, apresentam grande força econômica no setor secundário, com amplos parques industriais: Volta Redonda, devido ao histórico setor siderúrgico desde a instalação da planta da Usina Presidente Vargas da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), na década 1940; e Resende, pelos destacados setores metal-mecânico e químico-farmacêutico. Estes municípios atraem mão-de-obra das demais cidades da região, como Barra Mansa, Porto Real, Itatiaia e Quatis , promovendo a migração pendular e a ampliando a mobilidade espacial do trabalho. O mapa abaixo apresenta a Microrregião do Médio Vale Paraíba do Rio de Janeiro, formada, além das cidades de Volta Redonda e Resende, por Barra Mansa, Itatiaia, Pinheiral, Piraí, Porto Real, Quatis e Rio Claro.


Resende, Volta Redonda e também Barra Mansa, apresentam atividades do setor terciário – de comércio e serviços – como grande força econômica. O comérico e demais serviços destas cidades atendem não somente aos municípios menores da região, como também cidades de outras regiões vizinhas e mesmo de outros estados. Cidades como Queluz (SP) e Bocaina de Minas (MG), só para ficarmos em exemplos específicos, costumam apresentar fluxos de pessoas para Barra Mansa e Resende em busca de comércio e serviços. O Médio Vale Paraíba Fluminense se torna uma área de grande movimento de pessoas em constanto trânsito e contato.


No dia 28 de abril, segundo dados da própria prefeitura munincipal, Volta Redonda contabilizava 11 mortes por coronavírus e 381 casos confirmados, tendo 1119 casos suspeitos aguardando os resultados dos exames – isto mesmo com a prefeitura decretando o fechamento de vários estabelecimentos comerciais desde o dia 14 de março e publicando decretos que acentuam o isolamento social. Porém, mesmo com números tão duros, há uma constante pressão do empresariado em reabrir o comércio e dos prestadores de serviços em voltar à normalidade dos seus trabalhos, criando tensões contra o próprio poder público local, que acabou perdendo essa "queda de braço". No dia 24 de abril, o prefeito do município anunciou em rede social a "flexibilização do comércio" apresentada ao Ministério Público[1]. No mesmo dia desta explosão de casos, terça-feira, 28 de abril, o prefeito se reuniu com representantes do Ministério Público para acertar detalhes da proposta de reabertura do comércio na cidade, de forma “gradual e consciente” [2]. Afinal, mesmo com a pandemia da COVID-19 e a orientação da Organização Mundial de Saúde em relação ao distanciamento social, a necessidade do fechamento do comércio e da redução da jornada de trabalho não são bem aceitas pelo empresariado local. Em Pinheiral, município vizinho de Volta Redonda, em 27 de abril foram informados 11 casos confirmados (5 curas e 6 em isolamento domiciliar) e 10 pessoas aguardam resultado em isolamento domiciliar[3]. Mesmo assim, com certa estabilização dos números, a juíza da vara única do município proibiu o relaxamento de restrição de convívio social que o município adotaria[4].

Em Barra Mansa, outro município vizinho à Volta Redonda, até o dia 26 de abril, há no total 38 pacientes infectados, segundo o próprio prefeito da cidade. Mesmo com estes números, e apenas 08 leitos disponíveis pelo SUS[5], o poder público municipal sofre pressão para a reabertura do comércio desde o dia 01º de abril. No dia 22 de abril o governo municipal acabou cedendo e anunciou a reabertura do comércio na cidade8 para o dia 27, porém o Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com uma liminar na justiça proibindo a medida. Todavia, após novas negociações, a partir do dia 29 de abril a cidade flexibilizará as restrições e abrirá, ainda que de forma dividida, o comércio local[6]. Em Resende, já no dia 23 de abril, a prefeitura anunciou a quarta morte por COVID-19, número que permanece entre os 30 casos confirmados no dia 28 de abril[7]. No mesmo dia em que ocorreu o quarto óbito, o prefeito publicou um decreto que flexibiliza a reabertura do comércio em horário especial[8], e, um dia depois, publicou decreto que obriga o uso de máscaras[9].


Torna-se importante confrontar os números informados pelas prefeituras das cidades citadas com os boletins divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde no dia 28 de abril de 2020: há uma diferença de dados significativa, indicando Volta Redonda com 179 (!) casos a menos que a própria prefeitura, Pinheiral com menos 2, Barra Mansa com menos 13 e Resende com menos 14 casos. Se olharmos apenas para estas cidades, há o número expressivo de 208 contaminados pela COVID-19 não incluídos na contabilidade de casos do estado. Segundo informação da própria Prefeitura de Resende, parte dos testes aguardam a contraprova, que é realizada pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen), no Rio de Janeiro, o que explica o descompasso dos dados[10]. Todavia, entendemos que esse descopasso, junto às subnotificações, signfica que o número de casos é, portanto, muito, mas muito maior.

Eis o mapa com base nos números oficiais do estado do Rio de Janeiro, referente ao dia 28 de abril:


Assim, destacamos dois fatos alarmantes:


[1] O número de contaminados na Região do Médio Vale Paraíba Fluminense – e de todo o estado do Rio de Janeiro, para ficarmos apenas nessa escala – é muito maior que o divulgado nos principais canais de informação sobre a COVID-19. Como se não bastasse o limitado número de testes, a insuficiência do atendimento de todos casos e a subnotificação generalizada, nota-se uma grande discrepância nos próprios dados oficiais. Por diferentes motivos, são centenas de pessoas que estão sendo desconsideradas em certas estatísticas divulgadas, e, portanto, o número de pessoas sofrendo com a COVID-19 é expressivamente maior;


[2] Há um conflito de interesses, em diferentes escalas – nacional, estadual, regional e municipal –, entre aqueles eles que querem abrir o comércio e os que pretendem ampliar o distanciamento social. Obviamente, após ultrapassarmos o pico da pandemia e conseguirmos a tão desejada estabilização de casos, será necessária a elaboração de planos sólidos que permitam, progressivamente, a recuperação das atividades comerciais e de serviços, ainda que a sociabilidade de outrora certamente demorará a reexistir. Todavia, sob qualquer aspecto, estamos vivenciando uma curva ascendente de contaminações, combinada com o esgotamento da capacidade médico-hospitalar das cidades e a ampliação da abrangência da pandemia. Trata-se de um momento de luta pela estabilização dos casos e proteção da vida, e não da criação de novos espaços de contaminação.

[1] Consultar: https://diariodovale.com.br/regiao/samuca-anuncia-flexibilizacao-do-comercio-em-volta-redonda/. [2] Consultar: https://new.voltaredonda.rj.gov.br/48-not%C3%ADcias/gabinete-do-prefeito/2637-volta-redonda-tem-aumento-de-mais-10-nos-casos-suspeitos-de-covid-19. [3] Consultar: http://www.pinheiral.rj.gov.br/informativo/noticias/prefeitura-municipal-de-pinheiral-informa-sobre-casos-do-coronavirus_1. [4] Consultar: https://diariodovale.com.br/plantao-da-redacao/justica-proibe-relaxamento-de-restricao-de-convivio-social-em-pinheiral/. [5] Consultar: http://cnes2.datasus.gov.br/Mod_Ind_Leitos_Listar.asp?VCod_Leito=75&VTipo_Leito=3&VListar=1&VEstado=33&VMun=&VComp=. [6] Consultar: https://avozdacidade.com/wp/comercio-em-barra-mansa-ja-pode-funcionar-a-partir-desta-quarta-feira/. [7] Consultar: https://g1.globo.com/rj/sul-do-rio-costa-verde/noticia/2020/04/28/resende-chega-a-30-casos-confirmados-de-covid-19-entre-eles-quatro-mortes.ghtml. [8] Consultar: https://diariodovale.com.br/politica/resende-publica-decreto-que-flexibiliza-reabertura-do-comercio-em-horario-especial/. [9] Consultar: https://avozdacidade.com/wp/prefeitura-determina-uso-obrigatorio-de-mascaras-em-combate-a-covid-19-em-resende/. [10] Consultar: https://g1.globo.com/rj/sul-do-rio-costa-verde/noticia/2020/04/28/resende-chega-a-30-casos-confirmados-de-covid-19-entre-eles-quatro-mortes.ghtml.

[1] ROSSI, Fabio. Volta Redonda: Números da pandemia de COVID-19. OpenLab / PPGIHD-UFRRJ, 2020. Disponível em: https://www.ppgihd-open-lab.com/post/volta-redonda-n%C3%BAmeros-da-pandemia-de-covid-19.

0 visualização

© 2020 por PPGIHD-UFRRJ

  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black LinkedIn Icon